Topo

Artigos

Vercil Rodrigues

Sobre o autor:

Vercil Rodrigues

Advogado. Graduado em História (Licenciatura); Graduado em Ciências Jurídicas (Bacharel); Pós-Graduado (Especialização) em História Regional; Pós-Graduado (Especialização) em Gestão Escolar; Pós-Graduado (Especialização) em Docência do Ensino Superior; Membro do Instituto Histórico e Geográfico de Ilhéus; Membro-fundador e Vice-Presidente da Academia Grapiúna de Letras (AGRAL); Membro-Idealizador e Vice-Presidente da Academia de Letras Jurídicas do Sul da Bahia (ALJUSBA); Membro da Academia de Letras de Ilhéus (ALI); autor dos livros Breves Análises Jurídicas e Análises Cotidianas (Direitos Editora) e Diretor-fundador do jornal, revista, site e editora de livros DIREITOS (www.jornaldireitos.com.br). Itabuna – Bahia.


E-Mail: vercil@jornaldireitos.com.br

Dicas Imobiliárias

Sou síndica e gostaria de saber como faço para resolver ou amenizar a inadimplência do nosso condômino que está alta? Sheila Mara.

Sheila, as contas parecem não ter fim. E quando se aproxima o final do ano, elas só aumentam, principalmente, quando os vizinhos resolvem ignorar o pagamento das taxas condominiais. Se você está vivendo essa situação no seu condomínio, a orientação é buscar alternativas para evitar que o problema fique cada vez maior. O problema tem extensão grande. O número de ações judiciais por falta de pagamento da taxa condominial subiu em média 10,22% em julho deste ano (2014). As ações de cobranças tendem a ser demoradas por conta do volume de trabalho do Poder Judiciário e o ideal é que os condomínios tomem providências que possam reduzir a inadimplência. Eis algumas dicas para lidar com o problema da inadimplência:

1 - O condomínio pode desenvolver maneiras de arrecadar recursos, como instalar torres ou alugar áreas, vendendo lixo reciclado, etc. Assim as taxas condominiais serão menores e o risco da inadimplência diminui.

2- Faça campanha de conscientização como reuniões e cartazes e explicite as consequências de ter saldo devedor, como proibição votar nas assembleias e penhora do imóvel.

3 - Contrate uma administradora para orientar melhor os pagamentos e profissionalizar o trabalho. Quando o morador vê o dinheiro sendo bem aplicado em melhorias e o condomínio funcionando sem problemas, se sentem mais estimulados a pagar.

4 - Evite a exposição do inadimplente. Colocar as unidades devedoras no mural causa constrangimento e também é motivo de processo judicial.

Além disso, 5 - Caso tenha dificuldades, cogite a contratação de uma empresa especializada em cobrança de inadimplentes.

6 - Esteja disponível para receber o inadimplente a qualquer momento. O importante é receber o valor, ainda que em parcelas. Faça acordos ou negocie a dívida.

7 - Na assembleia geral ordinária anual, quando aprovada a previsão orçamentária, deve se prever com a máxima eficácia as despesas do ano, para não pegar o condômino de surpresa. Faça levantamento das despesas do condomínio no ano anterior com manutenção e conservação, água, luz, elevador, portão eletrônico, seguro, folha de pagamento de pessoal e projeto para o ano seguinte.

Ademais, 8 - Não corte o fornecimento de nada do inadimplente. O condomínio pode ficar sujeito a processos judiciais e penalidades severas.

9- Faça cobrança da inadimplência o mais rápido possível para reduzir uma progressão da dívida e ter a ação como exemplo para que não existam outros seguidores

10- Não perdoe dívidas. Além de estimular inadimplência, pode criar mal estar entre outros moradores.

© 2017 - Jornal Direitos - Todos os direitos reservados
By inforsis and CL