Topo

Entrevistas

Entrevista com o deputado estadual Bira Corôa (PT-BA)

DIREITOS - Como você avalia o governo de Jaques Wagner, sendo um deputado da base governista?
Bira Côroa - O governador Jaques Wagner realizou diversas obras físicas por todo o Estado e conduziu uma mudança de comportamento nas relações com os demais entes da sociedade, ensinando a todos que o sistema democrático proporciona uma convivência mais humana.
Em relação à infraestrutura, nesses dois mandatos de gestão de Jaques Wagner, destaco a construção e reforma de aproximadamente oito mil quilômetros de estrada, melhorando significativamente a movimentação da população e o escoamento da produção dos diferentes territórios. Na saúde, foram construídos cinco hospitais regionais e foi ampliado o número de leitos hospitalares.
O Programa Todos pela Alfabetização (Topa) beneficiou mais de um milhão de baianos que nunca tiveram acesso a educação no Estado. O Programa Água para Todos desenvolveu ações de pequeno e grande porte, minimizando as dificuldades de convivência com a seca, mesmo durante esta última, que foi a pior em 50 anos.
Na segurança pública, esse foi o governo que mais admitiu policiais, tanto civis quanto militares, além de equipá-los com armamento, coletes de segurança e viaturas. E o Programa Pacto pela Vida se junta a toda essa estrutura para dar melhor segurança para os baianos. Os frutos começam a ser colhidos, pois já vivemos uma redução dos crimes nos principais centros urbanos da Bahia.
Neste contexto, podemos dizer que o governo de Jaques Wagner tem um nível de acerto muito superior aos seus erros, o que me conduz a avaliá- -lo como extremamente positivo. Ao mesmo tempo, tenho consciência de que ainda temos muito a fazer.

DIREITOS - Como você avalia o processo de sucessão de Jaques Wagner?
Bira Côroa - O governador, junto com o PT, já escolheu o seu candidato, que é o companheiro Rui Costa. Estamos vivendo um processo de articulação com os demais partidos para compor a coligação. A oposição vem se desarticulando internamente, fazendo com que se tenha a impressão de que ela não consegue se unificar. Quem quer ganhar não escolhe adversário. Temos a nosso favor um balanço de realizações em todas as áreas extremamente superior ao do grupo político que derrotamos em 2006.
Eles levaram décadas governando a Bahia e não fizeram o que realizamos em oito anos. Sabemos que cada eleição tem suas características próprias e ninguém ganha de véspera, mas estarei junto com meus companheiros, percorrendo todo o Estado, fazendo esta comparação e mostrando a necessidade de darmos seguimento às mudanças implantadas na Bahia.

DIREITOS - Você acha que Rui Costa tem chances de ganhar a eleição?
Bira Côroa - Por tudo que falei anteriormente, somando-se às ações do governo federal na Bahia, temos um cabedal de realizações que justificam pedir ao povo baiano o seu voto de confiança para darmos sequencia ao atual governo. O companheiro Rui Costa foi eleito o deputado federal mais bem votado na última eleição (mais de 200 mil votos) - e foi convidado por Jaques Wagner para cumprir tarefas estratégicas no governo.
Posso afirmar que Rui tem um conhecimento pleno de todas as regiões da Bahia, suas características e suas necessidades. Ele comprovou sua competência, desempenhando bem todas as tarefas que lhe foram confiadas por Wagner e, junto a isso, temos a força do PT, que está unificado, e dos partidos aliados, que estão a cada dia declarando o seu apoio para essa candidatura. A definição do nome de Otto Alencar como pré-candidato ao senado na nossa chapa ajuda a fortalecer esse time vitorioso. Agora é arregaçar as mangas e trabalhar para a vitória em 5 de outubro.

DIREITOS - Você é candidato a reeleição e por quê?
Bira Côroa - Eu coloquei o meu nome à disposição do partido para disputar a reeleição. Considero que realizamos um mandato digno para a classe trabalhadora e contribuímos com a sustentação política do projeto liderado pelo governador Jaques Wagner. Nosso mandato esteve pautado na defesa dos menos favorecidos e em busca de uma sociedade mais justa e igualitária. Temos trabalhado no combate à discriminação racial e à intolerância religiosa; e na defesa dos direitos da minoria política, sendo reconhecidos como, verdadeiramente, o mandato da igualdade dentro e fora da Assembleia Legislativa. Temos relações políticas nas diversas regiões da Bahia e assim procuramos contribuir nas gestões municipais com quem nos relacionamos, contribuindo com mandatos de prefeitos, vice-prefeitos e vereadores. Ajudamos na captação de recursos de diversas ordens que tragam melhorias para os municípios e para seu povo. Assim, espero que o PT, na sua definição de candidatos, aprove meu nome para continuarmos o trabalho.

DIREITOS - Como você avalia os trabalhos desenvolvidos na Assembleia Legislativa?
Bira Côroa - Posso afirmar que a Assembleia Legislativa da Bahia, durante o período em que estou deputado, tem tido uma vida ativa com um funcionamento pleno nas sessões ordinárias e especiais e nas suas comissões. Temos aprovado os projetos de lei oriundos dos outros poderes que contribuem para uma melhor qualidade de vida dos baianos. Iniciamos também um processo de aprovação de projetos de lei elaborados pelos deputados, fato este que não acontecia anteriormente. O parlamento é um espaço de debate de diversas concepções políticas e este debate vem acontecendo permanentemente nas nossas atividades. Outro aspecto importante é que esta casa começou a abrir as portas para receber os movimentos sociais, os pleitos e as manifestações realizadas pelos diversos segmentos. Esta mudança de comportamento pode ser vivenciada por termos conseguido eleger, além de um governo democrático, uma quantidade significativa de parlamentares comprometidos com os movimentos sociais.

DIREITOS - Como presidente da Comissão Especial de Promoção da Igualdade, quais as principais ações desenvolvidas?
Bira Côroa - Desde quando assumi a presidência da Comissão de Promoção da Igualdade da Assembleia Legislativa, há aproximadamente oito anos, realizamos diversas audiências públicas e sessões especiais, contemplando debates que envolveram, principalmente, políticas públicas para minoria. Somente em 2013, foram13 audiências públicas e quatro sessões especiais. Dentre os segmentos que mais movimentaram a Comissão durante meu mandato estiveram às mulheres negras, a comunidade LGBT, a juventude negra, a rede étnico empreendedora e as comunidades tradicionais. Ainda, levantamos discussões sobre casos de racismo e de intolerância religiosa.

DIREITOS - Quais os principais projetos de lei apresentados ou defendidos por você?
Bira Côroa - Nos meus primeiros momentos como deputado, procurei verificar quais os projetos apresentados pelos colegas que me antecederam na Assembleia que mereciam os nossos esforços para darmos continuidade. Dentre eles, podemos citar o Estatuto da Igualdade Racial, o qual debatemos exaustivamente aqui na Casa; e o projeto que cria a data 24 de novembro como o Dia do Sacerdote e da Sacerdotisa das Religiões de Matrizes Africanas, o qual aprovamos. Conseguimos também aprovar dois projetos de lei: o que institui o cadastro Estadual de Pessoas Desaparecidas; e o que institui o Certificado de Parceiro da Responsabilidade Social Solidária para empresas e entidades baianas que contribuam para o desenvolvimento social e econômico de entidades formadas por comunidades tradicionais. Ainda durante meu mandato, fui relator de diversos projetos importantes como a Lei Orgânica da Polícia Civil; o projeto que cria a categoria de professor indígena e, posteriormente, a sua equiparação com os demais profissionais do magistério. Apresentamos também outros projetos na área ambiental, promoção da igualdade e que beneficiam diversos segmentos sociais.
Como exemplo, destaco o que institui a data 26 de setembro como o como Dia Estadual de Celebração as Ações Maçônicas no âmbito de todo Estado da Bahia.

© 2017 - Jornal Direitos - Todos os direitos reservados
By inforsis and CL