Topo

Entrevistas

Entrevista com Pedro Arnaldo Martins, presidente do diretório do PMDB de Itabuna.

O presidente do PMDB de Itabuna, Pedro Arnaldo Martins, tem um estilo próprio de fazer política. Adora dialogar, é um especialista na arte de fazer amigos, está sempre de olhos e ouvidos abertos para tudo o que acontece ao seu redor, é extremamente cauteloso nas decisões e, muito cioso, defende que acordos são feitos para serem cumpridos. É esse estilo que faz dele uma grande revelação da política Itabunense e regional. É impossível falar de política sem lembrar- se de Pedro Arnaldo. E não é para menos. Com ele, o PMDB de Itabuna se reinventa e ganha o respeito de novos admiradores, inclusive o reconhecimento de adversários. Isso abre novas e boas perspectivas para o partido, que ganha uma nova cara e já pode sonhar mais alto. Na entrevista a seguir, Pedro Arnaldo fala sobre o PMDB, como o partido se encontra no momento e projeta 2016.

DIREITOS - Qual é o seu maior desafi o ao assumir a Presidência do PMDB?

Pedro Arnaldo - Olha (risos...), o maior desafio é substituir o doutor Renato Costa, um homem íntegro e respeitado não só por nós, peemedebistas, mas também por toda a comunidade Itabunense e o seu jeito hábil e sereno de liderar; não é fácil substituí-lo. Por isso, eu tenho que mostrar serviço para honrar a confiança de meus pares. Mas aos poucos e, com o apoio do próprio Renato, as coisas vão acontecendo e hoje eu diria que está tudo bem, com o partido se firmando cada vez mais como opção para o eleitor.


DIREITOS - Como analisa o PMDB de Itabuna?

Pedro Arnaldo - O PMDB é a maior marca partidária deste País. Tem uma história de luta inquestionável. Aqui em Itabuna, o partido sempre teve uma atuação de destaque. Posso afi rmar que o PMDB foi a força político-partidária mais importante para o desenvolvimento de Itabuna, elegendo prefeitos como José Oduque Teixeira, que fez uma grande reestruturação administrativa no Poder Executivo municipal; Ubaldo Dantas, que valorizou toda a cidade como a execução de grandes obras como a abertura da Av. Aziz Maron e um profundo programa de macrodrenagem da área urbana; Fernando Gomes, que, no PMDB, foi o prefeito que nos legou o maior conjunto de obras públicas já deixadas por um prefeito, como a Vila Olímpica; a duplicação da Avenida José Soares Pinheiro; os principais viadutos da cidade; a duplicação da ponte do São Caetano; Grupos Escolares, Maternidade da Mãe Pobre, Hospital de Base Luiz Eduardo Magalhães, entre outros. Estes nomes honraram a sigla, foram muito operosos e tiveram o apoio do Partido no Estado e em Brasília para fazer obras estruturais para o município. Em termos de obras públicas, o PMDB praticamente construiu Itabuna! Podemos sem dúvida afirmar, que esse partido é forte e respeitado porque tem dado respostas concretas aos problemas maiores da sociedade Itabunense. Olha o exemplo da cobertura do Canal Lava-pés, uma obra de fôlego, verdadeira aspiração da comunidade local. O então Ministro Geddel Vieira Lima, nossa liderança no Estado, não mediu esforços em sua Pasta para aprovar o projeto e destinar os recursos que viabilizaram a obra, executada pela Secretaria de Infraestrutura de Itabuna, que tinha à frente o arquiteto Fernando Vita, do nosso PMDB.


DIREITOS - Como o PMDB está se preparando para as eleições de 2016?

Pedro Arnaldo - Todo partido político tem que se preparar bastante para enfrentar um processo eleitoral e com o PMDB não é diferente. Pelo conjunto do nosso trabalho de discussão dos problemas e orientação aos militantes, considero o PMDB preparado para as próximas eleições. Estamos mantendo diálogo com outros partidos, estamos atraindo novos quadros e, aos poucos, estamos botando o nosso bloco na rua, visando às eleições do ano que vem. A propósito, devo dizer que os partidos têm que se preparar muito para estas eleições porque o Brasil está passando por um processo muito grande de transformações e isso vai se refletir no pleito eleitoral. O eleitor será muito mais exigente! No final de novembro realizamos um seminário de capacitação de pré-candidatos, vereadores e prefeitos, com a participação de dezoito cidades, os deputados estaduais Herzen Gusmão (Vitoria da Conquista), Pedro Tavares (Salvador), do Secretário Geral do PMDB Bahia, João Santana, o Prefeito Almir Melo (Canavieiras), ex-prefeito José Raimundo Laudano Santos (Laudano de (Almadina) e Edson Neves (Ubatã), entre outras lideranças. Também presente os ex-prefeitos Fernando Gomes e Capitão Azevedo (ambos do Democratas).



DIREITOS -E a pré-candidatura de Fernando Vita?

Pedro Arnaldo - É pra valer! Um partido como o PMDB tem que ser alternativa de poder. Precisamos colocar um nome como o de Fernando Vita no tabuleiro político-eleitoral porque o eleitor vai cobrar ficha limpa, idoneidade moral, capacidade de trabalho, serviço prestado e, Fernando Vita preenche todos esses requisitos. Tem uma história que o habilita a concorrer à prefeitura em condições reais de vitória, principalmente pelo respaldo histórico que o PMDB dá a seus candidatos e seus Planos de Governo. Vita é um político capaz e é o nome que o PMDB oferece ao eleitor Itabunense em 2016.


DIREITOS - O PMDB já decidiu quem serão os pré-candidatos a vereador?

Pedro Arnaldo - Já. Ainda falta escolhermos outros nomes para concluirmos a lista, mas já contamos com 20 nomes para a disputa legislativa. Destes 20, sete são mulheres.


DIREITOS - Você deu uma nova cara e uma maior dinâmica ao PMDB. Isso significa dizer que no futuro você poderá vir a disputar um cargo eletivo ou ser candidato à reeleição no partido?


Pedro Arnaldo - Em política, é difícil dizer não. Eu até que digo. Já dei uns “nãos” por aí. Mas o “não” não é regra, é exceção. Bem... mas você quer saber mesmo se eu serei candidato a alguma coisa, não é isso? Agora sou eu que pergunto: você já deve ter ouvido a clássica frase de que o futuro a Deus pertence, não é mesmo? Então, vamos pra diante...

© 2017 - Jornal Direitos - Todos os direitos reservados
By inforsis and CL