Topo

Entrevistas

Entrevista com o presidente do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) de Itabuna, Pedro Arnaldo Martins.

DIREITOS - Qual a sua análise do quadro político de Itabuna hoje?
Pedro Arnaldo – As coisas estão mais claras, mas ainda há muita indefinição. Mais da metade do eleitorado ainda não sabe em quem votar, segundo pesquisas. Creio que esta eleição está mais para partidos e candidatos situados à centro-direita. Mas há bons nomes, alguns, ameaçados de não registrar candidaturas e isso pode mexer muito no cenário político. Ainda há forte indefinição jurídica e eleitoral por conta das recentes mudanças na legislação pertinente. Percebo todos os partidos se movimentando bem, toda- via, não há favoritos.

DIREITOS - Nesse quadro, como está o PMDB?
Pedro Arnaldo – Atento aos movimentos políticos, trabalhando a coesão partidária, aprofundando os laços e os compromissos com a sociedade Itabunense e estudando soluções para desafios da cidade e da região, já estamos com o Programa de Governo pronto para ser apresentado e debatido com nosso eleitorado.

DIREITOS - Quais considera os principais desafios?
Pedro Arnaldo - A situação fiscal da Prefeitura de Itabuna é muito grave. O município está endividado e, de débitos de execução imediata, não tem a menor capacidade de investimento, o gravíssimo problema da oferta de água à população não está sequer equacionado, o tratamento de esgotos, a recuperação do Rio Cachoeira, uma solução para melhorar a mobilidade urbana. O trânsito de Itabuna está cada dia mais truncado e isto prejudica o cidadão e o comércio local. Enfim, problemas que vão se eternizando.

DIREITOS - Qual a posição do PMDB sobre a questão da água? A prefeitura está privatizando a EMASA. É por aí?
Pedro Arnaldo – Decididamente não. Num grave momento de falta de água, propor a privatização da Emasa como solução é uma espécie de chantagem com o Itabunense. Esse governo que ai esta não desejará entrar para história com o rotulo de “negociador” de um patrimônio de tamanha importância para nossa Cidade, não creio que Vane se prestará a esse papel no final do seu governo. O novo Governo em 2017 poderá apresentar propostas com a de Uberlândia (MG), que tem os melhores índices de tratamento de esgoto e água, sendo administrada por um departamento de uma das suas secretarias, conheço bem esse modelo, estive lá, pode ser feito aqui também.

DIREITOS - Em outra entrevista, o Senhor afirmou que o PMDB foi o partido que mais contribuiu com o desenvolvimento de Itabuna em termos de obras...
Pedro Arnaldo – Se olharmos as principais obras públicas de Itabuna, foram realizadas por prefeitos que estavam no PMDB. A começar de José Oduque, passando por Ubaldo Dantas e Fernando Gomes, todos eles fi zeram grandes obras em gestões nas quais estavam no PMDB. Por isso vamos manter o compromisso com Itabuna de sempre dar respostas às nossas maiores necessidades.

DIREITOS - O pré-candidato do PMDB, engenheiro Fernando Vita, não decolou. Como o Partido está vendo isso?
Pedro Arnaldo – Na verdade, Fernando Vita é um grande nome que o PMDB oferece à cidade. Homem público honrado, sério, ficha limpa, figura democrática e acessível, conhece Itabuna e tem folha de serviço prestado. O eleitor decide. Se chegarmos à conclusão de que Itabuna reclama por novas propostas, novos caminhos e o PMDB concluir que tem outras maneiras de colaborar com o desenvolvimento da cidade, tomaremos as decisões necessárias. Fernando Vita honra o PMDB.

DIREITOS – Se Fernando Vita mantiver um desempenho eleitoral não satisfatório, o PMDB coliga? E com quem?
Pedro Arnaldo – Muita gente tem perguntado isto. Há muito parti- do interessado, esforços para engajar o PMDB em determinadas direções, mas a executiva do partido está fechada com o compromisso de tomar uma decisão coletiva, democrática, bem discutida, forte, no sentido de apresentar desempenho político consistente, decisivo na eleição e firmemente compromissada com a sociedade Itabunense

© 2017 - Jornal Direitos - Todos os direitos reservados
By inforsis and CL