Topo

Entrevistas

Entrevista com Marino Alves de Moura, coordenador do Centro de Referência em Prevenção, Assistência e Tratamento (CERPAT)

DIREITOS – O que é o CERPAT? E quais os objetivos desse centro?
Marino Moura – Centro de Referência em Prevenção, Assistência e Tratamento (CERPAT) é uma unidade de saúde que realiza ações de diagnóstico e prevenção de doenças sexualmente transmissíveis. Nesse serviço, é possível realizar testes para HIV, sífilis e hepatites B e C gratuitamente. Todos os testes são realizados de acordo com a norma definida pelo Ministério da Saúde e com produtos registrados na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e por ela controlados. O atendimento na unidade é inteiramente sigiloso e oferece a quem realiza o teste a possibilidade de ser acompanhado por uma equipe de profissionais de saúde que a orientará sobre o resultado final do exame, independente dele ser positivo ou negativo. Quando os resultados são positivos, aqui mesmo no Centro o paciente recebe todo o atendimento e tratamento necessário para a sua patologia.


DIREITOS – O CERPAT é ligado a alguma Secretaria municipal? Se sim, a qual?
Marino Moura - Sim. A Secretaria Municipal de Saúde sob a direção da Secretária Lísisas São Mateus, o CERPAT faz parte do Departamento de Média e Alta Complexidade sob a Coordenação Municipal da Vigilância Epidemiológica.


DIREITOS – De onde vêm as verbas aplicadas nas ações do CERPAT?
Marino Moura - A verba do Centro é Tripartite, ou seja, é proveniente de recursos enviados pela União, pelo Estado e pelo Município, inclusive o quadro de pessoal são contratados pelas três esferas – União, estado e município.


DIREITOS – Quais as ações desenvolvidas pelo CERPAT em sua administração?
Marino Moura - Mantive as ações já existentes, ampliei e/ou modifiquei algumas. Atualmente este Centro de saúde realiza ações dentro da unidade (ações intramuros) e fora dele (ações extramuros), que consiste na distribuição de preservativos masculino e feminino e gel lubrificante em bares, postos de combustíveis e festas populares, faz participações em mutirões, palestras educativas em diversos locais, Ronda Noturna – que é a distribuição noturna de preservativos e gel em locais considerados de grande fluxo de pessoas e o Fique Sabendo projeto desenvolvido em locais escolhido pela equipe ou a convite de outras entidades que consiste na entrega de preservativos e palestras educativas aos presentes, quando solicitado o Centro disponibiliza profissionais para realizar palestras em outras instituições.


DIREITOS – A quantidade de funcionários no CERPAT é suficiente para o atendimento de quem precisa?
Marino Moura - Sim, a equipe do CERPAT é bem diversificada atende aos requisitos exigidos, no momento esta completa, tem capacidade para atender mais de 150 pessoas diariamente, ofertando diversos serviços na área de saúde especializada todos gratuitamente.

DIREITOS - Quais os tipos de atendimentos que são oferecidos no CERPAP?
Marino Moura - São oferecidas sete especialidades, que atende pacientes de Itabuna e outros 21 municípios, sendo realizados diagnósticos, aconselhamentos, distribuição de medicamentos, acompanhamento, prevenção pós-exposição (PEP) e desenvolvidas ações para prevenção de HIV, HTLV, hepatites A, B e C e outras infecções sexualmente transmissíveis (IST), realizamos também teste laboratorial de hepatite B e hepatite C, teste laboratorial de HIV, teste laboratorial de sífilis, teste rápido de HIV, hepatites e sífilis, Serviço de Assistência Especializada em HIV/AIDS. Também disponibilizam insumos de prevenção, como camisinhas masculinas e femininas para a população geral, gel lubrificante para profissionais do sexo e homens que fazem sexo com homens. A equipe do CERPAT é composta por: médicos especialista sendo o Urologista (Dr. Júlio Brito), a Pediatra (Dra. Eliane Sá), o Infectologista (Dr. Antônio Lisboa), a Hepatologista (Dra. Suely Cristina). O CERPAT possui também em seu quadro de pessoal: dois biomédicos, uma Psicóloga; uma Assistente Social; uma Fisioterapeuta; um Dentista; quatro enfermeiras; uma Farmacêutica, dois auxiliares de Farmácia; dois técnicos de enfermagem; dois digitadores; três recepcionistas; um Auxiliar administrativo. A equipe exclusiva para realizar atendimentos externos (itinerantes) em hospitais, UBS – Unidades Básicas de Saúde, na Comunidade e em locais que for solicitado. O CERPAT conta também com laboratório e farmácia próprios para realização de exames e dispensação de medicamentos.


DIREITOS – Como o cidadão que precisa desse centro faz para ser atendido?
Marino Moura – Através da demanda espontânea, o usuário pode dirigir-se ao CERPAT e terá direito a passar por uma sessão de aconselhamento, que pode ser individual ou coletivo, a depender do serviço. O aconselhamento é uma ação de prevenção que tem como objetivo oferecer apoio emocional ao usuário, esclarecer suas informações e dúvidas sobre DST e HIV/AIDS e, principalmente, ajudá-lo a avaliar os riscos que corre e as melhores maneiras que dispõe para prevenir- se. O centro funciona na Avenida Amélia Amado – 914 – Centro, de segunda a sextafeira, das sete às dezessete horas, inclusive no horário do almoço, munido de RG e cartão do SUS e solicitar o serviço desejado. Não é necessário encaminhamentos de outros órgãos de saúde. Maiores informações o nosso telefone é: (73) 3215-6401 e o endereço eletrônico: cerpatita@gmail.com.


DIREITOS – Quais são as próximas campanhas e/ou ações do CERPAT?
Marino Moura – Darei continuidade aos eventos já citados, sendo a próxima campanha prevista a realização de eventos ainda em planejamento para o dia 1º de Dezembro – Dia Mundial de Luta contra a AIDS.


DIREITOS – Qual o papel e a importância do Psicólogo (a) no atendimento do CERPAT?
Marino Moura - A descoberta do diagnóstico da infecção por HIV/AIDS ou ISTs – Infecções Sexualmente Transmissíveis é bastante delicado e acaba acarretando uma avalanche de sentimentos e emoções. Comumente esse processo ocorre em etapas como a negação, a revolta, a depressão e a aceitação, sendo que não necessariamente todos os pacientes irão passar por cada uma delas é um processo muito particular/ singular. O paciente precisa construir estratégias para lidar com o preconceito que infelizmente ainda é recorrente no Brasil com a população de pessoas vivendo com HIV/ ISTs. Assim o acompanhamento psicoterápico para esse grupo é de extrema importância, não só pela dificuldade ao receber o diagnóstico, mas também na conscientização da necessidade em se construir uma rede de apoio, se será necessário compartilhar o diagnóstico com algum familiar, na construção de futuras relações afetivas, enfim há momentos em que as questões psicossociais são mais urgentes do que as médicas e é ai que o trabalho do profissional de psicologia faz toda a diferença, o propósito é que o psicólogo promova escuta ativa, identificando danos oriundos da condição emocional do paciente. No CERPAT a nossa psicóloga faz uso de diversas abordagens, individual e em grupo. Podendo essas duas modalidades principais se desdobrar em um leque de atividades como: atendimento individual de orientação, aconselhamento focado em um tema específico, psicoterapia, atendimento em grupo fechado com tempo delimitado, rodas de conversa, grupos de salas de espera, palestras educativas, entre outros.

© 2017 - Jornal Direitos - Todos os direitos reservados
By inforsis and CL