Topo

Entrevistas

Entrevista com Ivann Krebs Montenegro. Presidente da Academia Grapiúna de Letras (AGRAL).

“O sonho do nascimento da Agral já durava 25 anos”


Direitos – Ilhéus tem a sua Academia de Letras desde 14 de março de 1959, portanto, há exatamente 52 anos, o que o senhor atribui a tanta demora da centenária Itabuna ter a sua?


Ivann Krebs Montenegro - O espírito dos escritores, poetas e afins, de Itabuna, há bem mais de 25 anos acalenta o sonho de uma Academia de Letras no Território Sul da Bahia, contudo, demorou-se a acender na alma de algum intelectual a iniciativa de constituí-la, mas como tudo na vida tem seu tempo e seu começo, eis que, quando menos se espera, alguns privilegiados da literatura e preservadores da memória Itabunense entram “em campo” e presenteiam nossa região com a Academia Grapiúna de Letras. Portanto, a demora para que a centenária Itabuna tivesse a sua Academia estava na dependência direta da intenção de alguém dar os passos iniciais.

Direitos - Quais são os principais objetivos da criação da Academia Grapiúna de Letras (AGRAL)? E quem é o seu patrono maior? E as razões dessa escolha?

IKM - Como toda Academia de Letras, pressupomos, no princípio da igualdade, tem como objetivos o cultivo da língua portuguesa
e da literatura brasileira, priorizando
a preservação da memória cultural nacional, com destaque, aqui, para a Região Sul da Bahia, bem como dar amparo
e estímulo às manifestações da mesma natureza, de um conjunto de caracteres particulares, de disposições que destacam um grupo ou distinguem uma comunidade, inclusive no concernente às áreas das artes e das ciências. Buscou-se como patrono maior o nome de nosso principal escritor, de maior projeção: Jorge Amado, cujo nome se ostenta na Cadeira nº 01 (um), ocupada pelo Acadêmico Antônio Laranjeiras Barbosa. Além do fato acima, motivou-nos, também, a escolha do nome, pela importância e representatividade no cenário internacional e como premiação pelo seu inegável mérito.

Direitos - Quais são os acadêmicos e os seus respectivos patronos que compõem a primeira diretoria desta instituição? E como se deu o critério da escolha?

IMK - Havia que se ter uma plêiade de literatos ativos e buscamos entre escritores de destaque e entre membros da Academia Maçônica de Letras, Ciências e Artes da Região Grapiúna - AMALCARG, e convidamo-los ao encontro inicial, que resultou, num processo de sorteio, na seguinte composição dos Acadêmicos Fundadores, com as respectivas cadeiras e patronos:
01 - Jorge Amado - Antônio Laranjeiras Barbosa ;
02 - Nestor Passos - Carlos Eduardo Lima
Passos da Silva;
03 - Francolino Neto - Washington
Farias de Cerqueira;
04 - Castro Alves - José Carlos de Oliveira;
05 - Milton Santos - Vercil Rodrigues;
06 - Valdelice Soares Pinheiro - Ruy do Carmo Póvoas;
07 - Euclides Neto - Jorge Ribeiro Carrilho;
08 - José Haroldo de Castro Vieira - Antônio da Silva Costa;
09 - José Bastos - Ramiro Soares de Aquino;
10 - Telmo Fontes Padilha - Ivann Krebs Montenegro e
11 - Ruy Barbosa - Marcos Antônio Santos Bandeira, e estes Acadêmicos compõem a primeira Diretoria da AGRA

Direitos - O senhor só citou onze patronos e os demais? E quais foram
os critérios utilizados para as escolhas
deles?


IMK - Os demais patronos foram escolhidos pela indicação, por escrito, dos fundadores, na razão de 10 indicações por acadêmico e os mais votados, no conjunto, mereceram a escolha. E foram votados, dentre os mais de 100 nomes selecionados, os 29 patronos que nominarão as cadeiras restantes,
sendo escolhidos, também por votação
secreta, os seguintes nomes: Abel Pereira, Adonias Filho, Afrânio Peixoto, Amélia Amado, Amélia Rodrigues, Anísio Teixeira, Ariston Caldas, Clodomir Xavier, Dias Gomes,
Djalma Eutímio, Firmino Rocha, Gil
Nunesmaia, Gileno Amado, Helena Borborema, Ildásio Tavares, João Mangabeira, Jorge Medauar, José Dantas de Andrade, José Nunes de Aquino, Luiz Gama, Manoel Lins, Manoel Simeão da Silva, Minelvino Francisco da Silva, Orlando Gomes, Pedro Calmon, Plínio de Almeida, Sosígenes Costa, Waly Oliveira Lima e Wilson Lins.

Direitos - O que foi deliberado na histórica reunião do dia 4 de abril?
E quais são os próximos passos da AGRAL?


IKM - Além do que já tratamos nos tópicos anteriores, com a Eleição, por voto secreto, da Diretoria, deliberou-se sobre o valor das responsabilidades pecuniárias, inicial e mensais, tratamos sobre a análise e aprovação do Estatuto e do Regimento Interno, que foram apreciados pelos acadêmicos e levados ajustes e adequações. Agora iremos caminhar pelos caminhos da burocracia, tratando da solenidade inicial de implantação, registros dos normativos e relacionamento bancário, além, da criação da bandeira, pelerine, emblemas, medalhas de mérito e cronograma de reuniões, etc.

Direitos – Na reunião dia 4 foram eleitos onze acadêmicos que são considerados os membros-fundadores,como serão os critérios para a escolha dos demais?

IKM - Os demais serão escolhidos de uma lista existente com mais de 200 intelectuais, e que foram indicados pelos membros-fundadores. Desta lista, cada fundador votará secretamente em seus 29 nomes preferidos e após esta votação a comissão eleitoral anunciará os mais votados.

Direitos - Onde funcionará a AGRAL? E quando se dará a posse dos 40 imortais grapiúnas?

IKM - Enquanto não tivermos a sede rópria, a AGRAL funcionará nas dependências da Sede do Rotary Clube de Itabuna Sul,gentilmente cedida. A posse acontecerá tão logo hajam sido completados os demais passos necessários, mas acreditamos que será no mês de maio próximo, em dia a ser aprazado.

© 2017 - Jornal Direitos - Todos os direitos reservados
By inforsis and CL