Topo

Entrevistas

Entrevista com Dr. Leandro Alves Coelho, Presidente da Academia de Letras Jurídicas do Sul da Bahia (ALJUSBA).

DIREITOS - De quem partiu a ideia de criação de uma academia de letras jurídicas no Sul da Bahia?

Leandro Alves Coelho -
A idéia partiu de Vercil Rodrigues. Este ao criar a primeira Academia de Letras de Itabuna (AGRAL) foi questionado por pessoas da sociedade se existia uma Academia de Letras Jurídicas na Bahia. Desse modo, passou a pesquisar e descobriu que existia uma Academia de Letras Jurídicas com sede em Salvador, mas, esta não proporcionava espaço aos estudiosos do Direito da Região Sul do Estado. Assim, ao lançar a ideia da criação de uma Academia que pudesse contemplar os nomes de relevância no Sul do Estado, foi muito bem recepcionado por diversos colegas.

DIREITOS – Quais foram os elementos motivadores da criação Academia de Letras Jurídicas do
Sul da Bahia (ALJUSBA)?


LAC - O principal elemento motivador foi a necessidade de contemplar os nomes e as obras jurídicas produzidas na região Sul da Bahia, pois, a Academia de Letras com sede em Salvador só possuía ao longo de toda a sua história uma pessoa que fosse
do Sul do Estado. Este era Aurelino Leal, nascido em Itacaré.

DIREITOS – Quem são os demais
membros-fundadores da Academia? Quem compõe a sua histórica primeira diretoria e como se de deu essa escolha?


LAC - Os membros fundadores são Leandro Coelho, Vercil Rodrigues, Cosme José dos Reis, José Carlos Oliveira e Paulo Sérgio Bonfim.
Os referidos membros-fundadores são profissionais do Direito, atuantes no Sul da Bahia, tanto no âmbito acadêmico,
como no âmbito profissional e foram aqueles que sem titubear aceitaram o desafio de dar andamento a esta empreitada. Quanta a escolha, foi feita
em votação secreta onde todos eram candidatos a todos os cargos da diretoria e quem tivesse mais votos em cada cargo seria automaticamente eleito.

DIREITOS – Sendo o mais jovem dos acadêmicos-fundadores, o que o senhor credita a sua eleição para compor a presidência uma academia dessa magnitude?

LAC - Sinceramente não tenho palavras para descrever a honra e
a emoção de ter sido escolhido para presidir uma instituição da magnitude
da ALJUSBA. Tenho plena consciência que é uma responsabilidade incomensurável e um desafio que vai marcar a minha vida, pois, sei da sabedoria que é inerente a todos os integrantes desta Academia.

DIREITOS – Quais são os principais objetivos da Academia de Letras Jurídicas do Sul da Bahia?

LAC - Difundir os trabalhos jurídicos de todos os acadêmicos dessa Região, de forma que estes se tornem ainda mais conhecidos e estreitar os laços profissionais da comunidade jurídica sul baiana.

DIREITOS - Como ocorreu o processo de escolha dos patronos da Academia de Letras Jurídicas? E Por que a escolha de Francolino Neto como patrono-maior?

LAC - Por meio de votação secreta, sempre buscando contemplar os nomes que marcaram a Região Sul do Estado. Em relação ao nome de Francolino Neto, este foi escolhido pelo trabalho que ele desenvolveu ao longo de diversos anos como professor da UESC.

DIREITOS – Como se deu o processo de escolha dos 40 imortais da Augusta Casa? E quais foram os critérios utilizados?

LAC - Os fundadores levantaram diversos nomes de relevância na Região Sul e depois a lista foi levada à votação secreta. Os mais bem votados foram sendo convidados e passarão a compor a Egrégia Casa.

DIREITOS - Quais são os próximos
passos da ALJUSBA?


LAC - Após a confirmação dos procedimentos formais de constituição da instituição será marcada a primeira Assembléia para deliberação dos pormenores de funcionamento da Academia. E logo em seguida marcaremos a solenidade oficial de posse dos imortais jurídicos, que deverá acontecer no máximo até a primeira semana de julho.

© 2017 - Jornal Direitos - Todos os direitos reservados
By inforsis and CL