Topo

Entrevistas

Entrevista com Alfredo Omena Diretor- Geral da UNIME – União Metropolitana de Educação e Cultura.

Jornal Direitos - No último dia 28 de abril, comemoramos o dia mundial da educação. No contexto da educação superior, como o senhor ver as atuais formas de acesso à faculdade?

Alfredo Omena - Nos últimos anos contemplamos uma série de políticas públicas que têm contribuído para a democratização da educação, em especial o acesso ao ensino superior de estudantes de classes socioeconômicas menos favorecidas. Programas do governo federal têm ampliado o número de faculdades públicas, dobrou o número de vagas, criou o PROUNI e o NOVO FIES. Este último, um programa de financiamento com juros de 3,4% ao ano, está autorizado para faculdades cujo índice de qualidade tenha sido aprovado pelo MEC. Alunos que sonhavam em um dia fazer um curso superior e não tinham chances nas faculdades públicas, em função da alta concorrência ou, nas faculdades privadas, pelos valores ditados pelo mercado, agora o podem. Nós nos sentimos felizes por poder propiciar a realização desses sonhos.

JD – Dentre os propósitos de uma Instituição de Ensino Superior se destacam, a promoção do desenvolvimento educacional e a busca pelo atingimento de determinados campos profissionais em consonância com as necessidades e expectativas gerais da sociedade. Na prática, de que forma a UNIME tem demonstrado essas ações?

AO – Penso que posso sintetizar a atuação da UNIME na comunidade regional destacando três aspectos: a- Possui um excelente Projeto Pedagógico de Cursos e um Corpo Docente invejável. Nosso projeto pedagógico não ficou no nível filosófico; buscou, em suas ações, resgatar nos educadores o valor do planejamento, da busca de novas metodologias mais condizentes com o perfil dos ingressantes na atualidade. Procuramos, através dele, utilizar os conhecimentos adquiridos na prática para “re-significar” a ação de todos os envolvidos na instituição, buscando em cada curso ofertado decifrar as competências necessárias para que o egresso consiga obter uma boa empregabilidade, e fundamentalmente a preparação para o exercício da cidadania. Sua metodologia evidencia o desejo de proporcionar aos alunos uma formação prática, realista, cidadã e solidária com as necessidades do meio, através de currículos flexíveis que permitem eleger, reformular e ampliar as modalidades de formação. As ações acadêmicopedagógicas são regidas por um grupo de Coordenadores e Professores com excelente qualificação (especialistas, mestres e doutores) que trazem consigo a paixão de Ser Educador como um princípio fundamental no exercício de suas atividades. b- Nossos cursos atuam diretamente junto às comunidades. Como, por exemplo, o curso de Arquitetura que tem, dentre os seus projetos, o intitulado “A cor dessa cidade sou eu”, que numa busca do perfil do morador, através de análise psicológica, traz para a faixada da casa cores e design que se pareçam com a personalidade dele; O curso de Administração promove a Semana do Empreendedor, que funciona como uma espécie de feira de negócio dentro da própria faculdade. Os alunos têm a oportunidade de criar sua própria empresa e comercializar seus produtos durante a feira; O curso de Ciências Contábeis dá suporte à comunidade externa na declaração de Imposto de Renda de pessoa física; O curso de Direito tem o Núcleo de Práticas Jurídicas (NPJ) que, através do Balcão de justiça e Cidadania, permite que os alunos tenham mais contatos com os processos cíveis através das audiências de conciliação que são promovidas; além disso, possui Clínica de Psicologia que atende em média 400 pacientes por mês, Centro de Prevenção e Recuperação em saúde, formado pela Farmácia Escola, Clínica de Fisioterapia, com cerca de 1000 atendimentos para a população e Educação Física, tudo isso com atendimento gratuito. Os cursos também têm participação em mutirões promovidos por entidades sociais dando suporte na área de saúde e cidadania; c- Formação de um grupo de pesquisa visando acelerar os impactos de nossas ações na sociedade. Temos hoje o primeiro grupo de pesquisa com a linha mestra “Inovação Sustentável e Desenvolvimento Social”, aprovado pelo CNPQ/CAPES, com participação em bolsas de pesquisa, projetos sociais, patentes, pesquisa e outras atividades. O projeto ultrapassou barreiras, tornando-se internacional e hoje conta com pesquisadores da Universidade de Sevilha-Espanha, Universidade Pablo de Olavide-Espanha, Universidade Carlos III de Madri-Espanha, Universidade Católica do Chile-Chile, Universidade de Neuchâtel na Suíça e a empresa multinacional Brasil España - IES Global, dedicada a consultoria empresarial e científica. Esse é mais um diferencial para quem faz UNIME em Itabuna.

JD – Itabuna está se encaminhando para se tornar o principal pólo educacional da região. Há algum novo projeto da UNIME que venha convergir com essa expectativa?

AO – A expectativa é de que acompanhemos esse crescimento. Para isso estamos trabalhando para a implantação de novos cursos como os de Engenharia Civil, Engenharia de Produção, Engenharia Ambiental e Radiologia. Também já estão sendo construídos novos laboratórios e a Clínica de Enfermagem, que aumentarão o suporte para os alunos e serviços para a comunidade da região.

© 2017 - Jornal Direitos - Todos os direitos reservados
By inforsis and CL